Flutuando calmamente sobre as costas de uma colossal baleia mecânica, a cidade de Port Smoke serve como base para os colonos windleses de Asabikesh. Seu lento percurso contorna boa parte do litoral leste da nação, indo do norte temperado próximo da fronteira com Lukannon até o sul tropical, indo até os limites de Marais. Construída pela avançada tecnologia dos Arautos do Vapor, a cidade fervilha com homens de negócios, inventores, soldados e expedicionários, ficando sempre cercada por uma variedade de barcos que a segue como um cardume.

Asabikesh não serve apenas de entreposto como também protege as rotas do norte entre Windlan e o Novo Mundo, atacando com seus canhões qualquer embarcação que não se identifique como aliada. Nativos de Asabikesh e mercadores do oriente costumam ser recebidos sem maiores problemas, mas já ocorreram conflitos com aurineses de Marais, piratas das Ilhas Marlim e até mesmo com os veículos submarinos da Organização Mitternacht.

(Clique no nome do distrito para ouvir a trilha sonora correspondente)

Distrito da Luz de Gás

A luz ambárica de postes de ferro negro brilha fosca entre o vapor e a fumaça que paira como neblina no distrito comercial de Port Smoke. Aqui também é onde vivem as pessoas mais abastadas, em prédios de tijolos vermelhos ou em luxuosos casarões com vista para os graciosos parques e praças do centro da cidade, onde cavalheiros e damas bem-vestidos passeiam entre barracas de cachorro-quente, campos esportivos e brinquedos mecânicos criados pelos Arautos do Vapor. Uma locomotiva em trilhos suspensos conduz os passageiros dos os mirantes à beira-mar até as ruas internas, pontilhadas por hidrantes e saídas de ventilação do maquinário abaixo. Por todo lugar é possível encontrar restaurantes, livrarias, casas de barcos e outros estabelecimentos frequentados por locais e visitantes. A forte presença de imigrantes é evidenciada por ruas ocupadas inteiramente por estrangeiros, como Mingtown com suas lojas de porcelana e Pequena Rosetta com seus exóticos cafés.

Docas de Ferro

As ruas encardidas da zona portuária de Port Smoke abrigam uma confusão de estaleiros, armazéns e balsas flutuantes sacolejando nas laterais da ilha móvel, mantendo um movimento intenso a qualquer hora do dia. As inúmeras embarcações trazem fazendeiros e soldados do continente, além de muitos estrangeiros em busca de oportunidades. Carroças de madeira dispostas nos espaços mais amplos formam uma feira improvisada onde é possível encontrar todo tipo de produto cultivado nas colônias, de espigas de milho e legumes a frutos do mar. Tavernas fétidas, teatros decadentes e bordéis duvidosos são frequentados pelos trabalhadores do porto, por soldados e bombeiros de baixo posto e também pelos membros das gangues que infestam a área. Fruto do fluxo incontrolável de pessoas, da pobreza dos operários e da corrupção da milícia local, as gangues de Port Smoke abrigam os mais diversos tipos de contrabandistas, arruaceiros, mendigos, batedores de carteira e marginais em geral. Entre elas estão os Fiery Axes, desertores dos Caveiras Caolhas liderados por um meio-orc que grava uma marca em seu machado para cada vítima, e os anarquistas da Stone Helix Cult, famosos por causar tumultos e pela devoção religiosa a uma misteriosa entidade aquática.

Undertown

Entre as tubulações de esgoto e trilhos de trem subterrâneo de Port Smoke, um distrito inteiro mantém funcionando o maquinário da grande baleia que sustenta a cidade. Depósitos de gás, motores secundários e salas de controle são patrulhados por autômatos e operados por um enorme contingente de operários e engenheiros vestidos em macacões. Os Trabalhadores de Undertown possuem uma comunidade própria, que responde apenas à Underboss, a  líder do distrito. Para alguns, a astuta mulher em um encardido sobretudo blindado é a maior chefe de gangue de Port Smoke, tendo todos os Trabalhadores como seus capangas. Para outros, ela é a heroína que impede a cidade de afundar, embora todos concordem que ela jamais faz algo de graça. Não obstante, a Underboss não é a única coisa com que se deve ter cuidado nas passagens subterrâneas da cidade flutuante. Hordas de ratos atrozes, crocodilos gigantes e bandos de vampiros são apenas alguns dos perigos que espreitam nos túneis úmidos e escuros. Rumores falam sobre um culto da Ordem Esotérica de Dagon que se reúne nas áreas mais isoladas, e sobre cardumes de Profundos rondando nas galerias submersas de água salgada.

Dome Society

Localizada sobre a cabeça da grande baleia, a Dome Society é o imponente centro de comando não só de Port Smoke como de toda a colônia. Os altos prédios  distribuídos pelo conglomerado incluem a Torre Lovelace, lar do prefeito Bill Crosby, um Porto Aéreo da Guilda dos Aeróstatas e o Sétimo Farol da Igreja dos Marinheiros, cercado pelo cemitério da cidade. Oficinas e escritórios dos Arautos do Vapor também ocupam os edifícios, que contam com sofisticados elevadores hidráulicos. O nome do distrito vem de uma antiga instituição acadêmica que ajudou a financiar a construção de Port Smoke, e que alguns acreditam ainda exercer sua influência sobre a cidade. Um dos membros dessa sociedade era Ernest Crow, navegador do lendário Capitão Roberts, e a herança de sua presença ainda pode ser encontrada nos museus e bibliotecas locais. Embora histórias sobre fantasmas e cultos secretos no distrito sejam comuns, a maior curiosidade daqueles que não fazem parte da Dome Society está relacionada com os projetos desenvolvidos pelos Arautos longe da vista popular. Relatos falam sobre robôs a vapor gigantes, veículos avançados, prodígios alquímicos e até mesmo uma gigantesca máquina capaz de armazenar e processar informações através de cartões perfurados.

Anúncios