Aventureiros destemidos e gênios da tecnologia, os Arautos do Vapor viajam longas distâncias a bordo de seus navios motorizados, buscando novas descobertas e tentando superar seus próprios limites. Originalmente uma união de diversas guildas de mecânicos e inventores, que ganharam fama e prestígio durante a rápida industrialização de Windlan, os Arautos  se tornaram uma esquadra após o sucesso da Guilda Horseley em construir as primeiras embarcações à vapor capazes de navegar em alto mar. Apesar de ainda manterem oficinas e fábricas em terra firme e supervisionarem grandes obras da Coroa, eles estão entre os principais entusiastas das expedições windlesas para lugares distantes, que atiçam sua sede de conhecimento e trazem desafios irresistíveis. Os Arautos do Vapor preferem deixar as obrigações militares com os Dragões de Rubi e Caveiras Caolhas, priorizando a descoberta de novas rotas marítimas e viagens de caráter científico.

Os Arautos do Vapor costumam usar roupas peculiares, geralmente em tons de marrom e branco. Acessórios como suspensórios, óculos de couro e cintos de ferramentas são uma marca registrada em seus trajes. Os capitães usam vestimentas mais elegantes, mantendo um ar de cavalheiros excêntricos do mar, enquanto suas tripulações lembram uma multidão de mecânicos alegres e bêbados. Aqueles que perderam alguma parte do corpo em serviço usam próteses feitas com sofisticadas peças de metal, muitas vezes movidas por pistões ou por mecanismos de relógio.  Esses membros artificiais costumam ter gravado o símbolo da esquadra: um polvo enroscado em uma grande engrenagem. Cefalópodes são de fato uma figura constante nos navios dos Arautos, seja em entalhes nas embarcações ou em utensílios de aparência curiosa.

Não é difícil reconhecer um navio dos Arautos do Vapor, com suas enormes rodas de pá mecânicas e chaminés exalando fumaça. Apesar de estarem entre as mais rápidas do mundo, as embarcações exigem manutenção constante e ocasionalmente sofrem avarias ou até mesmo acidentes graves, que podem dar um final trágico a uma viagem. Os sobreviventes desses naufrágios são às vezes encontrados em ilhas distantes, e não raro estão totalmente imersos na cultura local, fascinados como são por lugares e costumes exóticos. Muitas das missões dos Arautos do Vapor têm como objetivo resgatar um desses marinheiros perdidos ou estudar qualquer estranha descoberta que tenham feito por acaso. Esse tipo de expedição, no entanto, costuma ser delegada a tripulações menores. Os capitães mais poderosos da esquadra, portadores da insígnia da Âncora Dourada e liderados pelo Capitão-Chefe Nicholas Brasshand, empreendem seus atuais esforços em desvendar a insólita tecnologia náutica da Organização Mitternacht, usando de todo conhecimento disponível para encontrar meios de pesquisar e enfrentar os veículos submarinos e leviatãs mecânicos que têm sido avistados com frequência cada vez maior nas águas da Coroa.

Anúncios