A orgulhosa esquadra dos Dragões de Rubi é a Marinha Real de Windlan, composta apenas pelos marinheiros mais corajosos e leais da Rainha. Seu centro de comando é a Ilha dos Quatro Ventos, que abriga o Almirantado Vermelho, integrado não apenas pelos líderes dos Dragões como também pelos principais capitães de outras esquadras da Coroa. A Marinha também administra a maioria dos Portos estrangeiros controlados por Windlan, como Port Jane Guy em Tekeli e Long-Gangkou no Império Ming. Mesmo sendo hoje uma das principais forças da Coroa, ela nem sempre esteve do lado da Rainha, tendo sido formalmente organizada e integrada como Marinha Real apenas após a Guerra Civil que instaurou a nova monarquia aliada aos Dragões de Mercúrio.

Diferente de outras esquadras da Rainha, os Dragões de Rubi prezam pela organização, respeito e limpeza em suas tripulações. Seus uniformes de um forte vermelho são mantidos sempre impecáveis, assim como suas armas e embarcações. Um rígido código de conduta aguarda todos aqueles que ingressam em seus números, mas aqueles com suficiente verniz social para aceitá-lo dispõem de navios bem equipados e um ambiente de trabalho agradável, sem as frequentes doenças e motins que assolam as tripulações de corsários ou piratas mercenários. Mesmo o marinheiro de posto mais baixo segue uma jornada de trabalho justa e recebe um pagamento aceitável, tendo ainda a chance de receber uma promoção caso demonstre grande mérito ou caia nas graças do Almirantado. Porém, todos também sabem que estão em uma posição que exige grande bravura, tendo a responsabilidade de assegurar o poder de sua nação nos mares e defendê-la de ocasionais ataques, visando como principal recompensa não as pilhagens, mas a sensação de dever cumprido com a Coroa.

Apesar de toda a formalidade, os capitães dos Dragões de Rubi são conhecidos por apreciar festas e eventos sociais. Afinal, eles cultivam uma boa imagem como cavalheiros, mas passam longos períodos no mar tendo contato apenas com suas tripulações. Banquetes, danças e jogos de azar estão entre suas diversões favoritas. Além da característica educação, eles também são famosos por serem supersticiosos. Suas crenças envolvem uma série de tabus para evitar maldições, como jamais matar um albatroz ou rebatizar um navio. Parte desse misticismo tem a ver com o relação próxima que a Marinha tem com os dragões de Windlan, ao lado dos quais lutaram em inúmeras batalhas. Mais de um capitão da esquadra possui um dragonete ou wyvern como fera de estimação, e há quem acredite que alguns dos Almirantes da Marinha Real sejam nada menos do que dragões vermelhos agindo sob a forma humana.