Tekeli, atual colônia de Windlan, é uma região situada no sudoeste de Andina. O difícil acesso e o clima inóspito já seriam motivos suficientes para que a região não despertasse interesse no Povo do Sol, mas o lugar aparentemente possui ameaças ainda piores.

A Costa dos Albatrozes é o centro da ocupação windlesa na região, abrigando a cidade de Port Jane Guy. Ela também é o lar de pequenos grupos indígenas relacionados aos que vivem em outras regiões de Andina.

Já as Ilha de Tsalal, por sua vez, é habitada por nativos de uma etnia desconhecida. Distante da costa e ainda pouco explorada, ela apresentam diversas particularidades não encontradas em nenhum outro lugar do mundo.

A Fronteira do Mundo é o lugar mais ao sul de toda Keleb. Atrás de sua inexpugnável muralha de gelo existem lugares ainda desconhecidos pelo homem, desafiando exploradores de Windlan e outros países.

Costa dos Albatrozes

O litoral sul de Andina é um lugar de praias cinzentas e grandes paredões de pedra, banhados por um mar agitado. Bandos de albatrozes, pinguins e outras aves marinhas fazem seus ninhos na área, gerando uma algazarra que se eleva entre o rugido de uma onda e outra. Recifes pontiagudos e uma constante neblina tornam o lugar perigoso para a navegação, e mesmo os capitães mais experientes admitem que o percurso é um notável desafio. A Marinha dos Dragões de Rubi defende com coragem a Costa, tendo sua base na colônia de Port Jane Guy. O principal interesse de Windlan na região é sua localização estratégica nos Mares do Sul, oferecendo rotas para Ashurya e servindo como ponto de apoio para ataques contra os navios de Aurin que partem de Araruma.

Na área continental próxima à Costa se estendem grandes planaltos e pampas. Das paredes pinceladas de limo à beira-mar até as encostas que encontram as Montanhas do Mar de Neblina se encontram inúmeras cavernas, que exibem uma curiosa característica: mesmo em suas entradas mais distantes do oceano, uma brisa marítima respira através da terra, levando os exploradores a acreditar em um complexo de túneis que percorre todo o subterrâneo da Costa. Acredita-se que a Ordem da Meia-Noite esteja utilizando esse labirinto para ocultar seus submarinos, mas expedições enviadas até o local não conseguiram confirmar essa teoria.

Ilha Tsalal

Ainda mais a sudoeste da Costa dos Albatrozes existe uma região onde as águas são estranhamente quentes, mesmo estando em latitudes polares. Nesses mares fervilhantes de vida, habitados por invertebrados pré-históricos, existe uma ilha que parece desafiar ainda mais a lógica da natureza. Tsalal, como é conhecida, é uma grande extensão rochosa de terra isolada dos continentes. Florestas de árvores negras rodeiam montanhas de rocha também escura, dando um aspecto quase monocromático à ilha. As águas fluviais de Tsalal possuem uma bizarra cor púrpura, se dividindo em veios com diversas tonalidades que não se misturam. Ainda mais surreais que a ilha são seus habitantes, homens cuja pele, cabelo e até dentes e olhos são da cor de carvão, e que possuem uma aversão involuntária contra a cor branca, que não existe em nenhum lugar em Tsalal. Esses humanos vivem de maneira rudimentar em cabanas improvisadas, mas parecem dispostos a interagir de maneira pacífica com forasteiros, principalmente se essa interação envolver negócios lucrativos para seu povo. Longe das aldeias, os desfiladeiros das montanhas guardam estruturas e inscrições misteriosas, complexas demais para serem atribuídas aos primitivos indígenas.

A Fronteira do Mundo

Próximo ao Pólo Sul de Keleb se estende uma colossal geleira, de onde se desprendem icebergs do tamanho de ilhas. Esse paredão glacial é apenas a primeira barreira da Fronteira do Mundo, um vasto continente gelado que ainda aguarda para ser desbravado. Açoitada por constantes nevascas na maior parte de seu território, a Fronteira é um lugar inóspito e desolado, abrigando lugares como desfiladeiros capazes de mumificar a carne pela mera ação do vento. Apesar da maioria de suas formas de vida serem mamíferos marinhos e criaturas bizarras que residem abaixo dos mares, a Fronteira do Mundo tem sua principal extensão formada por uma plataforma continental, com formações rochosas como planaltos, desfiladeiros e montanhas de proporções gigantescas, ajudando a manter a alcunha do lugar. É nessas paisagens desertas que estranhas ruínas são avistadas como miragens em meio às tempestades de vento. Enquanto algumas lembram a arquitetura da antiga Theocratia, outras possuem uma estrutura inteiramente alienígena, com edifícios estreitos erguidos em formas surreais pelas mãos de engenheiros inumanos.

Anúncios