Khaldur, a Cidadela Infernal, surge em meio á fumaça dos vulcões da Baía das Ondas de Fogo como uma gigantesca máquina de ferro negro, coroada por uma profusão de chaminés e hélices e iluminada pelo céu em chamas. Construída por filhos bastardos da nobreza de Windlan, ela é uma cidade-fortaleza jovem e rica, que administra o litoral de Al-Gober com eficiência. Longe da aridez do deserto, Khaldur fervilha com tecnologia insólita e combina alguns dos aspectos mais sórdidos de diferentes lugares do mundo.

Atualmente, Khaldur é a única cidade litorânea na parte oeste de Artabana. Mas, devido aos acordos comerciais estabelecidos por seus administradores, apenas Windlan e os Piratas de Iblis utilizam suas rotas.

(Clique no nome do distrito para ouvir a trilha sonora correspondente)

O Mercado dos Escorpiões

No sombrio souk de Khaldur perambulam sinistras figuras ocultas por turbantes e véus, que parecem surgir da própria poeira entre os labirintos de barracas, oferecendo tudo aquilo que se possa imaginar. Os Nômades Azuis vêm e vão durante o ano inteiro em suas caravanas de dromedários, trazendo bordados, peles e especiarias em cestos de palha. Casas de aposta e bordéis se espalham pelas ruas escaldantes, onde as prateleiras rebuscadas das lojas exibem armas pitorescas e animais exóticos. No mercado sem restrições da Cidadela Infernal, o comércio mais procurado é justamente o mais proibido. Drogas, venenos e escravos são vendidos abertamente, fazendo do lugar um paraíso do mercado negro. As únicas transações controladas são as de procedência mágica, onde muitas vezes os clientes têm de responder ao próprio Lorde Fatin para fechar negócio.

A Grande Arena

O ressoar dos tambores preenche a Grande Arena de Khaldur, o maior palco de jogos sangrentos em toda Keleb. Senhores ambiciosos trazem escravos das regiões mais distantes do mundo para competir nos torneios de luta e nas violentas corridas de camelo. O próprio Lorde Fatin financia os jogos, atraindo desde príncipes mercadores do oriente até magnatas de Windlan. Situada no perímetro externo da cidade, a Arena foi construída aos pés de uma das montanhas que cercam Khaldur. De aspecto grandioso e arcaico, o estádio de pedra é decorado com camarotes que lembram pequenos oásis particulares. Mercenários nômades, homens abutre, soldados lagarto e gigantes do fogo são apenas alguns dos lutadores “residentes”. A única lei da Arena é trazer o máximo de entretenimento aos seus convidados, e Fatin mantém esse compromisso trazendo novas modalidades e desafios a cada ano, como feras capturadas no deserto e mortos-vivos nascidos de rituais sombrios. Enquanto os preparativos para os próximos jogos continuam, um clima de tensão pode ser percebido nos bastidores, com a desconfiança de que uma esperta lutadora de Iroko estaria planejando uma rebelião de escravos.

O Porto da Ferrugem

O Porto de Khaldur consiste em um amontoado confuso de passarelas de metal enferrujado, ancoradouros feitos com troncos de palmeira e paliçadas de junco, iluminado por fileiras de archotes. Ponto de comércio para Windlan e Iblis, ele é mantido em ordem por  “lançadores de óleo”, criados para incinerar qualquer navio que ouse desafiar a autoridade da cidade. Além disso, os Caveiras Caolhas e os Piratas de Iblis  são mantidos em áreas diferentes, evitando confusões desnecessárias. A área dos Corsários de Windlan se parece com um grande e exótico pub ao ar livre, com marinheiros encharcados de rum espalhados pelas áreas de desembarque e pelos conveses de suas fragatas de velas negras enquanto aguardam novas ordens. Já a zona de Iblis é mais organizada e hostil, com armazéns improvisados exibindo escravos em jaulas, guardados por capatazes bem armados. Lorde Fatin permitiu até mesmo a construção de um pequeno Santuário de Baal em um ponto isolado da costa, que ultimamente vem sendo alvo de rumores sobre rituais sombrios ocorrendo na calada da noite.

O Palácio de Wazir

Também conhecida como Palácio da Máquina Infernal e Palácio das Mil Chaves, esta grande estrutura retangular vermelha de pedra e metal no centro de Khaldur é administrada pelo Grão-Mestre Wazir, irmão de Lorde Fatin e junto a ele senhor de toda a cidade. Cercado por grotescas fábricas de ferro negro, o palácio é protegido por imensos sentinelas de metal movidos a engrenagens. Os próprios salões e minaretes da construção são repletos de mecanismos, fazendo com que o Palácio de Wazir se pareça com um grande organismo em constante manutenção. Em seus andares inferiores existe uma poderosa fundição, que está conectada a uma rede de tubulações subterrâneas e corredores de máquinas que percorre toda Khaldur. Essas galerias são patrulhadas fortemente por grupos especiais de soldados, e abrigam toda sorte de guardião artificial criada por Wazir.

Anúncios