Imensas torres, cúpulas e minaretes refulgem com o brilho de milhares de diamantes e rubis, podendo ser vistas a quilômetros do oceano que banha o Oeste de Balthazir. Na tropical Jezirat, Aratta refulge como uma jóia, ofuscando qualquer cidade que tente competir com seu esplendor. Sua beleza incomparável é eternamente coroada pela luz tênue e suave da Torre da Arca, prostrada na montanha logo acima.

Esta é Aratta – Capital do Sultanato, lar da Tribo de Sharyar e parada obrigatória dos navios que utilizam a rota que liga Belchiora a Balthazir.

(Clique no nome do distrito para ouvir a trilha sonora correspondente)

O Bazar

O Bazar de Aratta é um lugar fervilhante de aromas e sons, onde a cada passo surgem mercadorias exóticas que não se encontram em nenhum outro lugar do mundo. Centenas de tendas e barracas se espalham em todas as direções, cobrindo quase toda a parte baixa da cidade em um mosaico de cores infinitas. Em meio ao movimento incessante podem ser encontradas especiarias, frutas, tapeçarias, espadas, jóias, produtos alquímicos, animais exóticos e artefatos mecânicos. Até mesmo objetos mágicos como tapetes voadores, espadas dançarinas e “garrafas de gênio” são oferecidos aos gritos pelos mercadores, nem sempre confiáveis. As pessoas que frequentam o mercado são tão pitorescas quanto as mercadorias que negociam, abrangendo nativos da Tribo de Sharyar com seus turbantes e vestes verde-azuladas, nobres da Tribo de Aswad em robes flamejantes, comerciantes de Ming com chapéis cônicos e Iroqueses usando peles de leopardo. O Bazar também é ponto de encontro de ciganos, que entretêm os passantes com suas apresentações de dança em roupas coloridas e esvoaçantes, regidas pelo som de instrumentos locais.

O Jardim das Maravilhas

O Jardim das Maravilhas é o conjunto de inúmeras praças, terraços, monumentos, pomares, aviários e jardins que se estende pela parte alta de Aratta. Interligado por alamedas ladeadas por palmeiras, ele existe como um presente do Sultanato a seu amado povo e como um símbolo da prosperidade e desenvolvimento da Tribo de Sharyar. Observatórios astronômicos e jardins zoológicos revelam o amor pela ciência que a tribo abençoada pelos gênios da água possui. Mas são os prodígios grandiosos do Jardim, como os elefantes a vapor, as fontes de águas dançantes e as piscinas de tartarugas gigantes, que fazem sua fama entre os atônitos visitantes estrangeiros.

O Porto das Sereias

Atargatis, a Rainha Sereia, é o Aeon patrono de Aratta. Seu santuário fica em uma pequena ilha em forma de caracol, a poucas centenas de metros do litoral da cidade. Todas as embarcações que se dirigem ao Porto das Sereias são recebidas pela imponente ilha-santuário, dona de um encanto misterioso e ameaçador. Esse mesmo encanto se espalha pelo Porto, que, apesar de receber navios de inúmeras nações, mantém uma harmonia impecável. Seus ancoradouros ornamentados por estátuas de sereias e animais marinhos são fortemente protegidos pela Tribo de Sharyar, em poderosas embarcações reforçadas pela magia dos Marid. Única rota utilizada tanto por Windlan como Aurin, o porto de Aratta conseguiu resguardar sua neutralidade até recentemente, quando conflitos envolvendo figuras importantes de Sharyar passaram a ameaçar esse delicado equilíbrio.

O Palácio de Sharyar

Destacando-se por seu tamanho entre as pitorescas construções de Aratta, o Palácio de Sharyar tem a estrutura parecida com o Palácio de Aswad, sendo formado por uma imensa cúpula rodeada de torres, embora tenha formas mais arredondadas e um revestimento externo mais extravagante, cravejado de pérolas azuis e diamantes. O Patriarca Marid deixou o palácio pouco tempo depois de sua construção, partindo em um dos Navios Voadores para se aventurar pelo mundo, e nada se sabe sobre seu paradeiro desde então. O jovem gênio da água Zarkan assumiu em seu lugar a tarefa de proteger o palácio e aconselhar o Sultão Behrouz, cuja casa passa por uma crise desde que seu único herdeiro homem desapareceu em Windlan. Para garantir a segurança de Al-Dasht em meio a essa maldição sobre os primogênitos, Behrouz pretende unir sua filha Amirah ao atual herdeiro do Califado de Aswad. Mas a princesa não parece nada entusiasmada com seu futuro casamento diplomático.

Anúncios